RECENTES

  • Caçamba Para Entulho: O Que Você Precisa Saber Para Contratar!
  • Caçamba Para Entulho: O Que Você Precisa Saber Para Contratar!
    Caçamba Para Entulho: O Que Você Precisa Saber Para Contratar!
    Ler mais
  • Saiba Qual é a Diferença Entre Martelete e Furadeira de Impacto!
  • Saiba Qual é a Diferença Entre Martelete e Furadeira de Impacto!
    Saiba Qual é a Diferença Entre Martelete e Furadeira de Impacto!
    Ler mais
  • Concreto Feito a Mão x Betoneira
  • Concreto Feito a Mão x Betoneira
    Concreto Feito a Mão x Betoneira
    Ler mais
  • Agregados Reutilizáveis
  • Agregados Reutilizáveis
    Agregados Reutilizáveis
    Ler mais
  • Compactação do Solo
  • Compactação do Solo
    Compactação do Solo
    Ler mais
    blog-image
    03
    Jun

    À primeira vista, misturar concreto parece ser algo simples, porém, para o concreto ser bom, ele deve ser resultado de alguns fatores: 

    • Qualidade do material;
    • Proporção correta entre os componentes;
    • Modo de preparo adequado.

    E ainda assim, quando não há uma aplicação adequada (levando em conta o tempo útil de utilização, procedimentos de vibração e montagem correta das formas) o resultado pode ser diferente do esperado.

    Para preparar o concreto é preciso observar 2 importantes fatores:

    • Ordem e maneira de dispor os componentes;
    • Processo de mistura.

    O processo de misturar concreto pode ser realizado de 2 formas: manual ou mecânica, cada uma delas tendo suas particularidades.


    Como saber quando usar a mistura manual?

    A mistura manual é utilizada somente quando é impraticável a utilização de maquinário. Quando isso ocorre, o processo de misturar concreto demanda esforço físico para a realização, e o tempo requerido normalmente é muito acima do que no procedimento mecânico.

    Além disso, de acordo com a ABNT, há uma limitação para a quantidade de concreto que pode ser misturado de uma só vez (sendo o máximo permitido equivalente a 100 kg de cimento).

    Para exercer uma mistura manual, é necessário:

    1. Espalhar a areia em uma camada de aproximadamente 15 cm;
    2. Adir o cimento e misturar bem, usando enxada ou pá, até que a mistura fique homogênea;
    3. Adir a brita e continuar os movimentos até a mistura ficar homogênea novamente;
    4. Espalhar a mistura, formando uma camada de aproximadamente 20 cm de altura;
    5. Abrir com pá ou enxada um buraco no meio da camada;
    6. Adir aos poucos a água, sem parar os movimentos de misturação, evitando que o líquido vaze e escorra para fora da área de mistura. Dessa forma, o melhor é que a mistura manual seja feita em uma cuba ou bacia para concreto;
    7. Misturar até que o concreto obtenha uma consistência com fluidez adequada para ser despejado e moldado em formas ou superfícies a serem concretadas.


    E quanto a mistura mecânica?

    A mistura mecânica é sinônimo de rapidez, eficiência e maior volume de produção de concreto.

    Quando o concreto é misturado de maneira mecânica na obra, deve-se observar os seguintes procedimentos:

    1. Ligar a betoneira e colocar a brita juntamente com metade da quantidade prescrita de água, e deixar girar por 1 minuto;
    2. Aos poucos, colocar a quantidade de cimento determinada para a quantidade de concreto prevista;
    3. Adir a areia incluindo a segunda metade da quantidade de água;
    4. Deixar girar por 3 ou 4 minutos.

    Os processos recomendados são para o concreto típico 1-2-3:

    • 1 porção de cimento
    • 2 porções de areia
    • 3 porções de brita

    Outros tipos de concreto podem ter procedimentos diferenciados.


    Existe diferença entre as formas de misturar?

    Uma vez bem observadas as premissas indicadas em cada procedimento, não há diferença entre os concretos produzidos de uma ou outra forma, em termos de desempenho.

    Um desempenho pobre poderia acontecer em decorrência de má qualidade do material, falha na técnica de misturar, erro nas proporções dos componentes ou aplicação de aplicabilidade do concreto depois do tempo recomendado.

    Quando as recomendações dos fabricantes e as normas técnicas são observadas adequadamente, a probabilidade de falha no concreto é quase nula.


    Comentários
    Compartilhe